Depoimento das Leitoras: VAL – 25/03/2014 – História de Superação

10 abr

 

Eu tenho 44 anos, demorei a amadurecer, a deixar “cair a ficha”. Confesso que o arremate final, depois de tantos acontecimentos aconteceu aqui no “desvendando”. Resumidamente fui a típica garota que sonhou com o príncipe encantado no cavalo branco. Categoricamente falando. A partir dos meus 15 anos, me sentava no portão, olhava a lua e sonhava com sua chegada. Lia muita Julia, Bianca, Sabrina, estórias que alimentavam meus sonhos e que eu, piamente acreditava poderem ser reais e acontecerem comigo um dia. E por essa ingenuidade e este sonho, paguei bem caro, pois na busca insistente deste “sonho surreal” perdi muito tempo na vida. Sempre sonhadora e crédula, caí na “estorinha da carochinha” de algumas bestas, que eu pensava que sentiam o que eu sentia. Sou, por natureza, uma pessoa muito intensa, livre e diria resistente às quedas. Casei aos 17 anos, um casamento no qual, no dia de seu acontecimento eu chorava por dentro, porque sabia que havia me enganado. Eu não amava meu marido. Só estava casando porque tinha engravidado na minha primeira experiência sexual. O que veio de bom? O meu filho, anjo de luz que tenho hoje, um homem com quase 30 anos. Um homem de bem, daqueles que não se encontram hoje em dia. O mantra dele sempre foi o de ter cuidado com o sentimento alheio, pois cresceu dizendo que não faria a nenhuma mulher o que não queria que fizessem a mim, mãe dele, e à irmã dele. Como quis que fôssemos respeitadas, ele, de outro lado sempre respeitou. Singular. Depois de 1 ano e meio de casada me divorciei. Fiquei traumatizada. Sofri muito neste período, pois mesmo não amando meu marido eu o respeitava e ele foi um galinha. Pudera… éramos duas crianças – eu com 17, ele com 19 –mas passou. Depois fiquei 13 anos em união estável com o pai da minha filha e sempre tive medo de casar de novo, mas este sim eu amei verdadeiramente e fui muito amada, mas no fim, descobri que o santo era de barro – enquanto eu amava, ele me enganava. Teve muitas, muitas, muitas mulheres nos 13 anos que estivemos juntos – mais de 50 eu soube depois… Sofri tanto, tanto que em um mês perdi 14 quilos – mas…passou. Mais ou menos, porque ele é um canalha sempre ausente. Além de me deixar endividada, abandonou nossa filha, hoje com 17 anos. Nunca mais veio vê-la. Separamos-nos quando ela tinha dois. Depois disto, eu fui, por um período breve de 1 ano e meio muito, muito, muito feliz. Foi o período que mais progredi na vida. Fiz minha pós- graduação e ganhei dinheiro. Tudo estava bem. Encontrei o “sonho surreal”, mas, como eu disse, era um sonho. Chegou o dia de acordar e cada um seguir sua vida. Vidas, cidades, caminhos diferentes. Mas foi maravilhoso do começo ao fim. Não tenho nenhuma lembrança ruim dele. Acho até que ele foi o energético que Deus me mandou para me preparar para as coisas que estavam por vir nos próximos sete anos. Como eu disse o pai da minha filha a deixou com dois anos. E ela era louca por ele e cresceu e. infelizmente, esta ausência dele na vida dela e na minha foi fatal. Fomos vítimas. aff..dói dizer…de um pedófilo. Eu não quero falar disso. Foi minha morte e minha luta pra renascer e mudar valores a partir daí. Eu namorava na época. E o apoio que esperei encontrar neste meu então namorado, até veio, mas veio “capenga” porque o egoísmo dele era maior. Os problemas dele eram maiores, mesmo o meu sendo tão… coisa que se só se vê na TV e a gente nunca espera que vá nos acontecer?…Então. E eu ali, lutando pra renascer e agradecendo porque o pior não tinha acontecido – ela está viva!- perdi meu pai definhando no hospital… no meio disso tudo ai..no auge..na mídia…Um ano e meio antes já tinha perdido outra pessoa muito amada da família. Não sei como fiquei em pé nesta época. Muitas mortes ao mesmo tempo dentro de mim. Resumo da ópera: Fui parar no psiquiatra e tomei muitos antidepressivos. Sofri efeitos colaterais demais depois de dois anos de tratamento e resolvi eu mesma dar a volta por cima. Sofri, sofri… lutei pra dar certo com este último namorado. Não deu. É difícil você ser feliz ao lado de uma pessoa egoísta, que não vê nada além dela e seus próprios problemas. A nossa contabilidade era ruim demais – eu só doava e ele só recebia. E nesta época encontrei o “desvendando”… lembra? Quando estava perdidinha, querendo reatar com ele, etc. Faz mais de um ano já. E você, blogueiro foi me dando respostas, eu fui lendo os posts, os comentários, aprendendo, vivendo… e conheci um “affair”, que não durou – durou só três meses – Chamo de affair porque só depois de um tempo percebi que ele estava com fome, comeu, encheu a barriga e se mandou. E eu, depois de tudo ainda sonhava, acredita? O ex hoje ronda… mas e eu? Eu estou ótima. Não quero nada com ninguém. Divirto-me por poder ter o terceiro olho depois de tanta coisa e dou grandes gargalhadas. O que mais amo hoje? Ficar com meus filhos e com minha mãezinha (quero aproveitá-la ao máximo) e não tenho tempo mais para romances e sonhos. Mas eu estou e sou feliz, porque descobri o segredo: EU APRENDI A ME AMAR ANTES DE QUALQUER COISA. Nossa! Quando conseguimos esta façanha, é a glória! Sabe por quê? Porque tudo o que você ensina aqui para a gente, blogueiro passa a acontecer naturalmente. Junto com o “desvendando os homens” vamos também, desvendando a vida! Descobri que não quero mais, que estou bem comigo mesma, que não faço força pra ser amada, que não sonho com príncipes encantados, e assim a vida floresce… A lição? Tudo passa tudo nesta vida passa. Há tempos e temporais e junto com eles, há também um lindo arco-íris no céu. É só olhar. Um beijo pessoal!

Imagem

Reflexão de segunda-feira!!!!

31 mar

Reflexão de segunda-feira!!!!

Mais verdadeiro, impossível!!!!

Depoimento das Leitoras: LILI – 24/03/2014 – Um lindo recomeço

25 mar

 

 

Mulher não corre atrás de homem!!!!! – Parte I

Olá blogueiro, tudo bem?

Não sei se vai lembrar, em 2012 relatei aqui a minha história com um piloto que mantive um pseudo relacionamento eu no RJ e ele em SP.

Depois de 6 anos sofridos por expectativas não atendidas, respostas vazias e situações que eu virava noites tentando entender deste pseudo relacionamento. Decidi sair fora, pela primeira vez decidi sair daquela história. Exclui telefones, redes sociais, e-mail. Não foi fácil, mas enquanto o celular tocava insistentemente, e os e-mails chegavam e as mensagens chegavam eu optei por ignorar todo e qualquer tipo de contato DOEU mas passou. Optei por descobrir novos passeios em minha cidade, encontrar amigos e papear, ler, assistir filmes …. Até que um dia percebi que não havia pensado nele nos últimos dias, que as noticias não tinham importância e que também não tenho rancor por não ter dado certo. PASSOU. Fiquei com a imagem de alguém que me fez focar em minha vida profissional, buscar conhecimento, estudar, alguém que de certa forma cooperou para meu progresso e que me cobrava isso sempre. Ele crescia e me cobrava isso também, esta referência ficou.

Hoje estou leve, feliz, pouco tempo depois encontrei alguém, o alguém que tanto busquei nele e hoje reflito e penso o quanto eu idealizei, nós mulheres idealizamos e atribuímos a qualquer pessoa que encontramos a função de ser o cara que queremos dividir a vida. Não temos paciência não acreditamos que de fato não precisamos nos esforçar, nos privar, nos desvalorizar tanto e nos submeter a inúmeras situações para ter alguém. GRANDE ERRO, como dizem nossas avós e os sábios “no momento certo a pessoa aparece” e apareceu sem eu precisar fazer malabarismos, sem pedidos, veio inteiro e leve e tudo soa tão fácil. Sem esforço, 1 ano após casei, estamos progredindo juntos, sem amarras, sem sofrimentos, sem desabafos com amigas de problemas, pois chegou o AMOR e um GRANDE AMIGO.

Quanto ao outro (o piloto), ele ainda aparece, decidiu mudar para o RJ (como pedi isso a ele e segundo ele era impossível pela profissão), até que há alguns dias atrás ele veio pedir ajuda para encontrar apartamento, se localizar na cidade, falou até de casamento o que achei uma tremenda falta de respeito. Ignoro e não mantenho vínculos, sou educada.

Abraços e parabéns pelo sucesso do blog, continuo acompanhando

Nova Categoria de Posts: DEPOIMENTOS DAS LEITORAS

25 mar

 

Prezadas Leitoras & Seguidoras,

 

há muito tempo venho alimentando essa ideia de dedicar uma seção do Blog para os mais interessantes, relevantes e comoventes depoimentos de algumas das nossas amigas por aqui. Não dá mais pra segurar. O espaço dos comentários e esse bate-bola que a gente faz por aqui, compartilhando as experiências, comparando situações, dividindo aflições e observando reviravoltas, tornou-se no mínimo tão importante quanto os próprios posts, disso não tenho nenhuma dúvida. O DESVENDANDO não pode existir sem os comentários de vocês.

 

Atualmente a maioria esmagadora do tempo que dedico ao Blog é reservado para a resposta das dezenas de comentários que diariamente aparecem por aqui. São todos muito bem vindos e todos sem exceção contribuem de alguma maneira para que as demais leitoras compreendam o universo masculino e entendam que situações como as delas não são vividas com exclusividade: muitas mas muitas mesmo se repetem com uma frequência “assustadora” (para quem ainda não conhece essas bestas é claro…)

 

Alguns desses comentários porém são na realidade verdadeiros depoimentos que não podem deixar de serem lidos por vocês todas. Não podem ficar “escondidos” simplesmente no meio dos demais comentários. Sobretudo porque muitas de vocês não tem tempo ou paciência para ficar acompanhando o desenrolar dos comentários em todos de todos os posts. Aliás duvido que alguém tenha em todos eles!!!! No máximo num ou outro de sua preferência ou aonde deixou algum comentário anteriormente. Mas muitas leitoras nem deixam seus testemunhos quem dirá ler o dos outros.

 

Portanto a partir de hoje, sempre com esse título DEPOIMENTO DAS LEITORAS vou publicar os comentários mais relevantes que já apareceram por aqui na minha opinião indicando o post de referência e o nome de fantasia da leitora que o escreveu. Tenho certeza que essas histórias de sofrimento, de superação, de angústia e de conquistas irão tocar o coração de cada uma de vocês. E o espaço para os comentários para cada um desses depoimento ficará aberto para quem desejar manifestar a própria opinião como em todos os demais. Só serão publicados depoimentos como post aqueles que tiverem a prévia autorização da autora em questão. E se por acaso alguma de vocês quiser sugerir algum depoimento para destaque entre os tantos que já foram publicados aqui, também estou aceitando sugestões.

 

 

Truques Imundos dos Homens – Parte V: “E aí sumida?”

20 mar

 

                                     Image

 

É dose pra leão. Vamos ser sinceros pelo menos aqui entre nós. Quem senão um monstro-de-duas-cabeças é capaz de proferir uma pérola dessas, na maior cara lavada, depois de um “súbito” e “inesperado” sumiço que pode variar de 3 até n³ dias consecutivos? E pior, quase sempre após um fim de semana ou um feriado prolongado?  Ou depois de uma semana ou um mês inteiro de intermináveis conversas diárias pelos whatsapps da vida, encontros tórridos e borbulhantes de “química” (olha ela aí de novo….) quando você estava certa de que estava indo “tudo bem”? É neném, o mais extraordinário dessa história é que enquanto você fica se sentindo “confusa, não entendendo o comportamento dele” ou “puta da vida querendo esganar o infeliz” ou se perguntando “será que eu fiz alguma coisa que ele não gostou?”, o malandro está te dando um tremendo balão e rindo à toa da tua cara…..

 

No fundo mesmo, conceitualmente falando, o “E aí sumida?” nada mais é do que um apêndice do Truque Imundo – Parte I: “A culpa é sua”….. Quem não leu esse post, por favor, retorne dez casas antes de prosseguir…. Como sempre eu estou aqui para desvendar como funciona a cabeça (de cima) de um estrupício desses e não para fazer nenhum tipo de julgamento de mérito. Já cansei de dizer pra você que a melhor defesa do homem é o ataque e nessa frase já estão implícitos dois objetivos básicos. O primeiro, como sempre, é o de transferir para você a “culpa” de vocês não terem se visto esses “n” dias todos porque “você” não o procurou. O segundo decorre do primeiro e quer estabelecer a dinâmica do relacionamento: “você é quem tem que correr atrás de mim”. É uma armadilha mental simplória mas se você pisar nela, meu amor prepare-se, porque você só vai sair dela quando “ele” quiser…

 

Tudo o que ele quer com essa artimanha cartesiana é provocar em você uma emoção bem determinada porque ele sabe perfeitamente que é justamente aí que você se enrola toda…. A partir do instante que você reage emocionalmente a essa solicitação, o cara já começa a assobiar e chupar manga ao mesmo tempo porque sabe que “tá tudo certo” (pra ele é claro). Assim mesmo, na hora! Se você ficar irritada e começar a “pagar geral” ele pensa imediatamente: “Tá puta, é porque gosta, agora é só esperar o piti passar”. Se você banca a irônica achando que está disfarçando e se saindo muito bem ele pensa; “Beleza, graças a Deus não vai ter DR, vamos nessa linha que é moleza”. Mas o ideal pra ele mesmo é que você fique “desnorteada” pensando “Por que será que ele fez isso? O que será que aconteceu? O que eu fiz/disse que ele não curtiu? Será que mandei mal na cama?” Qualquer uma dessas perguntas que te coloque na defensiva ele pára e pensa: “Maravilha!!!! Onde passa um boi passa uma boiada, já entubou essa vai entubar a próxima também”.

 

Não adianta você espernear, achar tudo isso um absurdo ou ficar puta comigo, não vai mudar em nada a realidade, nenhum homem vai deixar de falar isso porque é feio, porque isso não se faz ou porque isso é uma falta de respeito. Vão continuar fazendo, isso é certo e imutável como a Lei da Gravidade. O que você pode e deve fazer é aprender a não colocar o pé nessa ratoeira imunda. “Mas como Blogueiro, como eu faço????” É simples meu bem. CONTROLA ESSA MALDITA ANSIEDADE EM PRIMEIRO LUGAR!!!!!! Sem isso, nada vai funcionar. Pra variar…. O que você deve fazer é colocar esse verme no seu devido lugar, mostrar que ele não é tão importante na sua vida como ele imagina. “Mas não é verdade, Blogueiro, eu amo ele, amo muito” Kirida, sinceridade e cartas descobertas na mesa são tudo o que esse palerma necessita pra te engambelar!!!! Você tem que escolher: quer ser sincera ou quer ser feliz?

 

A resposta padrão para o “E aí sumida?” se dá em três estágios. O primeiro é o silêncio. Deixa passar o maior intervalo de tempo possível para dar a resposta, ou seja, NO MÍNIMO (!!!!!) umas 4 horas. “Ah mas e se ele insistir?” Ô filha, não é porque ele está angustiado querendo saber de você ou de como está o seu coração!!!!! Ele quer é provocar logo alguma emoção em você criatura!!!! Quatro horas no mínimo, ponto e parágrafo. O segundo é responder de forma que o bestalhão entenda que ele não está na lista das suas prioridades tipo assim: “Cara, maior correria mesmo”. Essa frase é perfeita. Chamá-lo de “cara” que é absolutamente impessoal e indefinido, já vai doer no sujeito (“Cara? Como assim cara? Eu não sou cara….”). Além disso, pra ele que está esperando uma emoção ou resposta compreensível, você não está dizendo simplesmente NADA. Aí o sujeito começa a se preocupar…. “Correria? Que correria? Aonde? Com quem?” O terceiro estágio é aquele em que você mostra pra ele como é que a banda toca, ou seja, quem tem que correr atrás de mim é você, seu pastel!!!!”  Ele com certeza vai continuar insistindo em arrancar alguma emoção/informação sua com ironias dos tipo “Correria é? Tá podendo…” ou chantagens emocionais do tipo “Poxa, e esqueceu de mim?” Tudo conversinha, não cai nessa. Deixa ele de molho mais umas 6 horas dessa vez e liquida a fatura: “Agora não tô podendo falar, me liga tal dia” (um dia qualquer que você queira). Ele vai pensar: “Não tá podendo falar COMIGO??? Como assim??? Por que??? Que novidade é essa????”

 

O segredo é esse amiga, tem que fazer esse rinoceronte pensar!!!! Se você tentar fazer ele  “sentir” alguma coisa, você tá ferrada, ele vai te tirar de letra. Tem que jogar o jogo dele que é o racional. Homem desmonta quando a mulher passa pro racional porque estão acostumados a gerenciar as emoções de vocês que é quando vocês abaixam a guarda… “Ah mas e se ele depois ficar bravo e não me ligar mais?” Meu amorzinho, homem não se ofende com nada, é tudo teatro, coloca isso na sua cacholinha de uma vez por todas. Se não ligar mais? Se não ligar é porque não está nem aí pra você meu bem e nesse caso, levanta as mãos pro céu e agradece ao Criador por ter lhe poupado seu tempo precioso com mais um sapo metido a príncipe!!!!!

O flagelo do Carnaval

1 mar

 

                                                   Image

 

Vai começar a folia, todo mundo nas ruas à espera dos bloquinhos, fantasia comprada, é samba, é frevo, aquela alegria toda pra todo lado menos pra você, mulher em início de relacionamento, que apaixonada acaba de levar aquele clássico balão de Carnaval do seu novo jumentinho. Minha filha, não se desespere. Afinal, não há mulher viva nesse país maior de 15 anos que não tenha passado no mínimo uma vez na vida por essa experiência. Serão 4 dias de martírio nos quais você não vai conseguir pensar em mais nada imaginando quantas bocas ele vai estar beijando, em quantas periguetes vão se jogar encima dele enquanto você estará longe, impotente e à mercê das circunstâncias. Angustiada no auge do delírio de abandono você irá se perguntar: “E agora? O que é que eu faço?”

 

Meu amor, só há uma coisa a fazer…. Vento que sopra pra cá, sopra pra lá também!!!! Já que ele escolheu te colocar “on hold” até a Quarta-feira de Cinzas, faça você a mesma coisa!!!!! Você fica se perguntando: “Ai meu Deus, e se ele acabar ficando com outra e gostando????”  Já parou pra pensar formosura que você pode dar essa “sorte” também? Não é só você quem está “arriscando” não, o seu animalzinho que não está cuidando de você corre o mesmo risco!!! 

 

Se você está de lero com um homem do ciclo 1 que saiu para aquela clássica viagem com mais 10 amigos jurando que te ama e dizendo que não vê a hora de voltar, faça-me um favor: METE O PÉ!!!!! Ou você acha que aquela coisinha linda que mamãe criou vai voltar pra casa intacta como uma hóstia sagrada???? Pelo amor…. Kirida, é mais fácil um elefante passar num buraco de uma agulha do que esse sujeito voltar “zerado” do Carnaval….. Não vá você se privar de tudo o que há de bom dando sopa nesses dias por causa de um papinho brabo desses…. 

 

Se você está começando um caso com um cara do ciclo 2 ou do ciclo 3 e ouviu uma historinha dessas, aí meu bem, é dose pra leão…. Ouvir isso quando você ainda é adolescente ou pré-balzaquiana tudo bem, é normal, qual pessoa do gênero feminino não passou por isso na vida. Mas ouvir isso já mulher adulta de um Peter Pan de meia tigela ou, pior ainda, de um Gatão de Meia Idade é muita derrota. Esse você já tem que sair direto cancelando celular, facebook, whatsapp, enfim tudo!!!! 

 

Seja lá como for e o que acontecer durante esses quatro dias (ou 10 nos casos mais graves) você pode ter certeza de uma coisa: se ele reaparecer, vai chegar como se NADA tivesse acontecido. Se ele voltar é porque era só isso mesmo, a válvula de retenção da testosterona liberou o excesso e ele chegou novinho em folha pronto para continuar a vida de vocês da onde vocês pararam. Bem, isso é o que se passa na cabeça dele…. O que se passa na sua é uma outra conversa…. Porque meu bem, aturou uma vez, vai ter que aturar outras…. Sabe-se lá mais quantas….

 

A propósito de “balõezinhos” de Carnaval eu tenho uma história muito interessante pra contar. Meu irmão mais novo tinha uns 20 ou 21 anos, estava no meio da faculdade, e estava namorando sério com uma menina linda, super inteligente, simpaticíssima, colega dele de curso. Já deviam estar juntos há uns 10 meses quando foi chegando o Carnaval e o bobalhão foi convencido pelos amigos a irem passar o Carnaval juntos sem namoradas em Ouro Preto. Ela coitada chorou, pediu pra ele não ir, esperneou, foi aquele drama. Mas ele, machão e certo de que ela estava apaixonada, disse que ela era maluca, que não precisava fazer aquele escarcéu todo, eram só 6 dias contando a viagem e blá, blá blá…. Voltou com a alma lavada, se você me perdoa a “metáfora”, depois de 10 dias e foi procurar por ela. Recebeu um cartão vermelho tão bem dado que levou ANOS pra se recuperar. Ele adorava aquela menina mas aprendeu de uma vez por todas a mais importante lição que um homem pode receber: QUEM AMA, CUIDA!!!!!

 

Portanto minha gente, nada de choro, nada de melancolia, vamos pra folia quem gosta, vá arejar a cabeça com outras coisas quem não gosta, mas lembrem-se que ficar sofrendo no Carnaval é uma tremenda furada!!!!

 

Bom Carnaval para todas!!!!!

O único ciúme “bom” é o nenhum!!!!

14 fev

 

                             Image

 

Confesso que nunca entendi muito bem a lógica pela qual o ciúme não figurou na lista dos sete pecados capitais. Porque vamos combinar, não há nada de mais demolidor das relações humanas do que o ciúme. O ciúme não corrói só os relacionamentos mas sobretudo corrói a pessoa que sente ciúmes. Destrói a auto-confiança, altera profundamente o humor e, pior de tudo, afeta gravemente a conexão do indivíduo com a realidade. Ciúme, inveja, cobiça na minha opinião são todos sentimentos semelhantes na sua origem pois nascem da projeção de um desejo pessoal em relação a uma outra pessoa. Em comum possuem também uma carga de negatividade terrível e que, invariavelmente, acaba por produzir sofrimento e miséria ao seu redor.

 

Vamos começar deixando bem clara uma coisa: NÃO EXISTE CIÚME “BOM”!!!! Todo ciúme é uma merda!!! Se você acha “bonitinho” quando seu namorado demonstra ter ciúmes de você, tenta lembrar se alguma vez você achou “bonitinho” ter ciúmes de alguém!!!! Não há lado bom em ciúme nenhum, só na falta dele!!!! Tem gente que acha que ciúme é demonstração de amor. Santa Ignorância Batman!!! Ciúme é revelador de insegurança, baixa-autoestima, falta de vergonha na cara (no caso dos homens), fraqueza de caráter, tudo o que de pior você imaginar menos de amor, que é um sentimento positivo, acolhedor e compreensivo. Quando o cara sente ciúmes de você pode ter certeza que isso não é expressão do amor dele, se é que esse amor existe mesmo. Além de tudo, como o ciúme é um troço negativo ao extremo, no caso dos homens, na maioria das vezes quando aparece vem carregado de agressividade e violência. Tá achando “bonitinho”? Te garanto que você vai achar bem menos quando o seu animal estiver rolando no chão e sangrando, com uma outra besta bem na sua frente. Besta essa que talvez você nunca nem tenha visto antes na vida!!! Isso torcendo pra que você não esteja diante de um daqueles trogloditas que dá vazão ao ciúme batendo EM VOCÊ!!!! Tá cheio desses visigodos por aí, não se iluda…. Não tem nada de “bom” e nem de “bonitinho”.

 

Essa coisa de achar ciúme “bonitinho” inclusive é coisa só de mulher viu?! Homem NENHUM nesse Planeta acha “bonitinho” quando a mulher tem ciúmes dele!!!! TODOS sem exceção DETESTAM isso e são capazes de vender a mãe com desconto pra se livrar desse martírio!!!! Que você tenha razão ou não, não faz a menor diferença. Uma mulher com ciúmes pra nós é como o inferno de Dante, simplesmente insuportável!!!! Que prova de amor uma ova!!!! Pra gente isso é pior do que ter o Mike Tyson esmagando o nosso saco escrotal!!!! A gente faz qualquer coisa nesse mundo pra se livrar. Põe uma coisa nessa sua cabecinha: HOMEM NENHUM AGUENTA MULHER CIUMENTA!!!!!

 

Quando o ciúme é da mulher em geral estamos diante de dois tipos distintos de problema. O primeiro é um clássico, não há mulher nesse mundo que não tenha experimentado esse suplício, é quando você elege para príncipe um mulherengo de primeira categoria, um daqueles caras cujo passado, presente e futuro o condenam. Aquele Casanova que é capaz de flertar com a sua melhor amiga, com a sua irmã e nos casos mais extremos até com a sua empregada doméstica se vacilar….  Aí meu bem, não é um problema de ciúme e sim de escolha (sua!!!!!). Não dá pra ser sócia de uma Sociedade Anônima e reclamar das outras sócias…. Viver em condomínio é assim, não tem jeito. Se você quer viver em paz sozinha dentro da sua “casa”, larga esse prédio ou essa cabeça de porco onde você se enfiou…. Aí não adianta se lamentar!!!! Não dá pra reclamar que a água é molhada, fia…. Isso, com todo o respeito, não é ciúme, é burrice! 

 

O segundo caso é uma questão de confiança. É como preto e branco. Ou você tem ou não tem. Ou você se garante com o seu homem ou então meu amor seja bem vinda ao sofrimento eterno…. Muitas vezes portanto não se trata de ciúme e sim da sua auto-estima que está abaixo do nível do esgoto…. Quando você se vê ameaçada por toda e qualquer mulher que se aproxima do seu homem (e este não é um incorrigível “galinha” como falamos acima), a primeira coisa a fazer é refletir se não há algo errado com você. Porque quando o seu “ciúme” é infundado o cara se vê diante de uma chance espetacular de fazer uso a torto e a direito dos Truques Imundos (ler posts com esse título partes I, II e III)!!!! É um “Você é maluca!!” pra cá, um “A culpa é sua” pra lá e se a sua auto-estima já estava baixa minha filha, prepare-se pra afundar ainda mais…. Mas se você é uma mulher que se garante, pode ser uma questão de confiança nele também e aí nesse caso é preciso estabelecer algumas premissas….

 

Um dos casos mais frequentes é o ciúme da “ex”. Vamos lá, em primeiro lugar você precisa entender se essa mulher é “ex”, ou seja, pertence ao passado dele ou se não é “ex” e sim rolo/caso/peguete ou seja lá que nome você dá pra isso…. Se for “ex” de verdade, ou você desencana ou parte pra outra antes que ele mesmo faça isso. Como já disse, homem nenhum atura mulher ciumenta com exceção dos cafajestes (para detalhes ler post “O Cafajeste e o Canalha”). Se você se garante e a tal “ex” já foi, não há porque ter medo de fantasma. Agora se a mulher ainda for “rolo” do cara aí você precisa tomar uma providência logo no começo e a coisa é simples. SEM DR (!!!!!) e sem maiores explicações, se possível uma única vez e numa única frase, você declara: “Basta uma sombra dessa mulher por aqui e eu tô fora. Estamos entendidos?” E PONTO FINAL!!!! Se você começar a dar muita explicação ou, pior ainda, se deixar ele dar, como dizem os alemães, você tá fudida minha filha! Se ele tentar começar você repete seca:“Shixxxxxx, estamos entendidos?” Fim do assunto. Se o cara gosta mesmo de você eu TE GARANTO que ele vai passar a fugir que nem o diabo da cruz dessa “ex”. Ela pode até tentar ficar ciscando mas ele vai arrumar um jeito de se livrar, pode ter certeza. Se não se livrar, aí a bola está contigo de novo: ou você usa joia alugada ou parte pra economizar até conseguir comprar uma só sua….

 

Se o ciúme é de alguma amiga dele, não dê murro em ponta de faca, você é mulher é sabe como isso funciona…. Vocês são maravilhosas com a gente mas umas com as outras o buraco é mais embaixo…. É claro que a amiga dele vai te hostilizar de primeira pelo menos. Toda mulher quando não está apaixonada sabe muito bem que todo homem é um panaca e se aparecer uma sirigaita que queira usar e abusar, faz o que quiser com o infeliz. Superada essa primeira resistência ou ela te larga de mão (que é o mais comum) ou vai implicar pro resto da vida e nesse caso também não há nada a fazer, ela que se dane!!!! Não vá criar um problema com o seu homem por causa de uma desmiolada qualquer….. 

 

Se for uma “mulher nova”, uma nova colega do trabalho dele, alguma pessoa nova no convívio de vocês aí a questão da confiança é nele. Se você confia no amor do seu homem por você proceda como se faz com qualquer homem: confie desconfiando o tempo todo!!! Porém, mesmo que a dita cuja esteja se engraçando, o que não é culpa (necessariamente) do seu homem, o que importa é como ELE se comporta e não no que a sirigaita faz ou diz! Se você achar que ele tá caindo na onda, vale mais uma vez o aviso único que já foi usado acima. Uma vez só e bem claro porque homem é burro mas não é idiota.

 

Enfim, sei que esse post vai dar muito mas muito mas muito o que falar ainda, mas o meu objetivo primário era mostrar pra vocês que ciúme é o maior atraso de vida. É uma coisa feia, destrutiva, irracional e que emburrece as pessoas. Em poucas palavras, não vale a pena. Agora, podem me massacrar à vontade nos comentários que eu juro que não vou ficar chateado!!!

Novo Pacto sobre os Comentários

12 fev

Prezadas leitoras/seguidoras,

devido ao alto número de acessos ao Blog e infelizmente de alguns excessos, vou ter que fazer algumas modificações nas regras a respeito dos comentários. Antes disso gostaria de esclarecer o seguinte:

 

  • Esse Blog é fruto de uma iniciativa pessoal minha com o objetivo de compartilhar as minhas experiências e teses sobre o relacionamento homem-mulher com foco no comportamento dos homens. Não se trata de atividade profissional e não tem fins de lucro. Não é também um hobby ou uma diversão. É simplesmente uma iniciativa de cunho pessoal de ajudar pessoas que eventualmente se identifiquem com as situações por mim descritas.
  • Por se tratar de uma iniciativa voluntária, o tempo dedicado ao Blog depende da minha disponibilidade entre outras atividades como meu trabalho, meu convívio familiar, minhas amizades, minha prática de esporte e outros interesses pessoais. O Blog portanto não é o escopo da minha vida e sim uma parte pela qual tenho um enorme carinho mas que se divide entre múltiplas tarefas e interesses.

 

É necessário portanto que aquelas entre vocês que frequentam esse espaço e queiram participar através dos próprios testemunhos, que tenham presente que as minhas intervenções ou respostas, além da inevitável limitação de tempo, deverão obedecer de agora em diante as seguintes regras:

  1. Não serão publicadas, ou seja, não ultrapassarão a fase de moderação, os comentários que contiverem trechos que não podem ser compartilhados com as demais leitoras. O escopo primário dos comentários e de suas eventuais respostas é o de compartilhar experiências e opiniões. Não é um serviço privado dedicado a cada participante mas sim um espaço de comunhão de vivências.
  2. Não podendo dispor do meu tempo de forma ordenada para o Blog, não posso moderar nem responder comentários que necessitem de resposta “imediata” e/ou “urgente”. Os comentários serão moderados e respondidos em função da minha disponibilidade de tempo que pode variar de forma consistente em função das minhas atividades pessoais e profissionais.
  3. Não possuo assistentes ou qualquer tipo de auxílio para a moderação e/ou elaboração das respostas. Nenhum comentário é publicado automaticamente e nenhuma resposta é realizada se não pela minha pessoa. Dessa forma, a privacidade de qualquer participante esta garantida mas a contrapartida é a eventual demora na publicação respectivo comentário e eventual resposta.
  4. Quanto mais longos forem os textos maior será o tempo necessário para a eventual resposta. O motivo é que só respondo os comentários que posso ler integralmente sem interrupção. Isso faz com que as respostas não sejam necessariamente efetuadas de forma cronológica. Muitas vezes respondo pelo celular em retalhos de tempo como espera em aeroportos, táxis, espera de reuniões e etc, e portanto os comentários mais breves acabam tendo a precedência.

 

Certo da compreensão de todas vocês, peço a gentileza de não ser pressionado para produzir respostas a nenhum comentário. Acredito que, em função da atenção e do respeito que reservo a cada uma de vocês indistintamente, não é justo que eu tenha que receber esse gênero de cobrança. Não há nenhum tipo de má vontade ou de indiferença da minha parte pelas questões pessoais de ninguém e sim, um impedimento objetivo de ordem privada que me obriga a levar mais tempo do que gostaria para responder quem quer que seja.

Muito obrigado

 

 

 

Qual é o seu post favorito?

27 jan

O fundo do poço é um lugar que não existe….

24 jan

 

Image

 

O capacidade do ser humano de se adaptar às condições mais adversas é impressionante e é uma das razões pelas quais a nossa espécie ainda existe na face da Terra. É o nosso fortíssimo instinto de sobrevivência que permite que nos moldemos a situações extremas e alheias à nossa vontade. Mas como tudo na condição humana, eternamente paradoxal e contraditória, nossas maiores virtudes são também nossos maiores defeitos. Como o remédio e o veneno. Quase sempre o veneno nada mais é do que o remédio em doses cavalares. E o que era uma fonte de bem-estar se transforma em alimento para um calvário.

 

Estou falando disso porque temos aqui no Blog dezenas e dezenas de testemunhos de mulheres capazes de um amor incondicional, de uma solidariedade humana tocante, de um espírito de sacrifício descomunal mas , que exatamente por isso, terminam mergulhadas num sofrimento atroz pela pessoa amada. É quando o remédio vira veneno. Quando se perde a mão da dose e a compreensão de que a situação não irá prosperar não importa quanto esforço,foco e dedicação você tenha. Porque quando a pessoa perde a noção de ter atravessado a linha de auto-preservação, por maior que seja o amor que se esteja experimentando, perde a noção mais importante: a de que o fundo do poço é um lugar que não existe.

 

Pois essa mesma capacidade de adaptação que nos fez superar uma era glacial é capaz de nos fazer aceitar o inaceitável por parte de uma outra pessoa. Uma vez cruzada a tal linha, os conceitos de auto-estima, respeito próprio vão todos pras cucuias. A partir daí a pessoa começa a rodar, rodar e rodar numa espiral sem fim achando que por tanta capacidade de auto-sacrifício o outro irá em algum momento lhe dar valor e importância. E esse dia não chega nunca. Não chega em parte às vezes pela mesma capacidade de adaptação do outro que pensa “ela é assim” quando na verdade você está assim. Outros porque pensam “ela faz porque quer, eu não pedi nada” e lavam as mãos em relação às suas renúncias e provações. Mas muitas vezes é simplesmente porque você está diante de um tremendo mau caráter e você mesma não consegue aceitar a ideia de ter se apaixonado por um. Qualquer que seja a razão, o final é sempre o mesmo: você sai destroçada física e psicologicamente (quando não também financeiramente) enquanto o outro vai embora sem sequer um arranhão em busca de uma nova vítima ou de uma nova Maria Mãe dos Homens.

 

Eu fico estupefato às vezes ao ler e perceber o tormento e a violência a qual se submetem algumas mulheres, tomadas por um espírito de sacrifício totalmente irracional e injustificável, em busca de uma compreensão ou um reconhecimento que não chegará jamais. As sevícias emocionais e psicológicas às quais uma mulher imolada é capaz de se submeter desafiam a sua própria existência. E como se chega a esse ponto? Como é possível aceitar todas as provas de desamor às quais elas se defrontam quotidianamente por silêncio, abandono e maus tratos? Os sumiços, as vigarices, as mesquinharias, as agressões físicas e verbais, as traições repetidas ao infinito, as bebedeiras, os vícios de toda a espécie, as mentiras mais deslavadas, tudo isso e mais se aceita na esperança de fazer sobreviver um amor que não existe mais se é que algum dia realmente existiu. E tudo isso por que? Por achar que não se chegou ao fundo do poço “ainda”.

 

O fundo do poço não é um lugar, não é um piso. É o MOMENTO no qual você decide se agarrar em algum ponto e resolve voltar à superfície. O fundo do poço é a hora em que você diz “não, daqui eu não passo, daqui não desço mais”. O fundo do poço é uma atitude: o resgate de você mesma. O fundo do poço é o fim da sua simbiose com a fantasia ou a ilusão de transformação da outra pessoa que não existe ou não existe mais. 

 

Portanto não existe resposta para as perguntas “Ainda dá pra reverter?”, “Quando será que ele vai entender?”, “Quanto tempo demora pra ele amadurecer?”, “Será que ele não vê que ninguém é capaz de amá-lo mais e se sacrificar  mais por ele do que eu?”, “Será que ainda vale a pena continuar?” Porque o fundo do poço é um lugar que não existe. Só se chega ao fundo do poço na hora em que VOCÊ diz “agora CHEGA!”. Só você pode tomar essa decisão. Porque por maiores que sejam os seus sacrifícios e melhores forem as suas boas intenções, não somos capazes de mudar ou transformar os outros singularmente. As pessoas mudam por uma conjunção de fatores, experiências e solicitações muito maiores do que o nosso esforço pessoal por maior que ele seja. Porque as pessoas mudam QUANDO ELAS QUEREM, da mesma maneira na qual você decide que chegou ao fundo do poço: querendo dar um fim.

 

Quando a relação deixa de ser uma relação de troca, de enriquecimento emocional e espiritual recíproco, não há mais relação existe apenas a sua obstinação, seja lá por qual razão ou amor, em sustentar algo que já está extinto. É preciso não se deixar enganar pela nossa própria capacidade de sobrevivência porque estamos nesse mundo PARA VIVER e não para sobreviver. Cada um de nós é capaz de brilhar com a intensidade do Sol basta saber buscar a própria felicidade com quem quer e é capaz de COMPARTILHAR a própria vida conosco. E não com pessoas que são capazes de eclipsar a nossa luz interior, a nossa garra, a nossa vontade de viver. E por maior que seja o seu amor e a sua capacidade de renúncia e adaptação não se esqueça: o fundo do poço é um lugar que não existe, o que existe é simplesmente a sua capacidade e a sua força pra dizer “BASTA!”

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 407 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: