abril 10

Tags

VAL: História de Superação

 

VAL – 25/03/2014 – História de Superação

 

Eu tenho 44 anos, demorei a amadurecer, a deixar “cair a ficha”. Confesso que o arremate final, depois de tantos acontecimentos aconteceu aqui no “desvendando”. Resumidamente fui a típica garota que sonhou com o príncipe encantado no cavalo branco. Categoricamente falando. A partir dos meus 15 anos, me sentava no portão, olhava a lua e sonhava com sua chegada. Lia muita Julia, Bianca, Sabrina, estórias que alimentavam meus sonhos e que eu, piamente acreditava poderem ser reais e acontecerem comigo um dia. E por essa ingenuidade e este sonho, paguei bem caro, pois na busca insistente deste “sonho surreal” perdi muito tempo na vida. Sempre sonhadora e crédula, caí na “estorinha da carochinha” de algumas bestas, que eu pensava que sentiam o que eu sentia. Sou, por natureza, uma pessoa muito intensa, livre e diria resistente às quedas. Casei aos 17 anos, um casamento no qual, no dia de seu acontecimento eu chorava por dentro, porque sabia que havia me enganado. Eu não amava meu marido. Só estava casando porque tinha engravidado na minha primeira experiência sexual. O que veio de bom? O meu filho, anjo de luz que tenho hoje, um homem com quase 30 anos. Um homem de bem, daqueles que não se encontram hoje em dia. O mantra dele sempre foi o de ter cuidado com o sentimento alheio, pois cresceu dizendo que não faria a nenhuma mulher o que não queria que fizessem a mim, mãe dele, e à irmã dele. Como quis que fôssemos respeitadas, ele, de outro lado sempre respeitou. Singular. Depois de 1 ano e meio de casada me divorciei. Fiquei traumatizada. Sofri muito neste período, pois mesmo não amando meu marido eu o respeitava e ele foi um galinha. Pudera… éramos duas crianças – eu com 17, ele com 19 –mas passou. Depois fiquei 13 anos em união estável com o pai da minha filha e sempre tive medo de casar de novo, mas este sim eu amei verdadeiramente e fui muito amada, mas no fim, descobri que o santo era de barro – enquanto eu amava, ele me enganava. Teve muitas, muitas, muitas mulheres nos 13 anos que estivemos juntos – mais de 50 eu soube depois… Sofri tanto, tanto que em um mês perdi 14 quilos – mas…passou. Mais ou menos, porque ele é um canalha sempre ausente. Além de me deixar endividada, abandonou nossa filha, hoje com 17 anos. Nunca mais veio vê-la. Separamos-nos quando ela tinha dois. Depois disto, eu fui, por um período breve de 1 ano e meio muito, muito, muito feliz. Foi o período que mais progredi na vida. Fiz minha pós- graduação e ganhei dinheiro. Tudo estava bem. Encontrei o “sonho surreal”, mas, como eu disse, era um sonho. Chegou o dia de acordar e cada um seguir sua vida. Vidas, cidades, caminhos diferentes. Mas foi maravilhoso do começo ao fim. Não tenho nenhuma lembrança ruim dele. Acho até que ele foi o energético que Deus me mandou para me preparar para as coisas que estavam por vir nos próximos sete anos. Como eu disse o pai da minha filha a deixou com dois anos. E ela era louca por ele e cresceu e. infelizmente, esta ausência dele na vida dela e na minha foi fatal. Fomos vítimas. aff..dói dizer…de um pedófilo. Eu não quero falar disso. Foi minha morte e minha luta pra renascer e mudar valores a partir daí. Eu namorava na época. E o apoio que esperei encontrar neste meu então namorado, até veio, mas veio “capenga” porque o egoísmo dele era maior. Os problemas dele eram maiores, mesmo o meu sendo tão… coisa que se só se vê na TV e a gente nunca espera que vá nos acontecer?…Então. E eu ali, lutando pra renascer e agradecendo porque o pior não tinha acontecido – ela está viva!- perdi meu pai definhando no hospital… no meio disso tudo ai..no auge..na mídia…Um ano e meio antes já tinha perdido outra pessoa muito amada da família. Não sei como fiquei em pé nesta época. Muitas mortes ao mesmo tempo dentro de mim. Resumo da ópera: Fui parar no psiquiatra e tomei muitos antidepressivos. Sofri efeitos colaterais demais depois de dois anos de tratamento e resolvi eu mesma dar a volta por cima. Sofri, sofri… lutei pra dar certo com este último namorado. Não deu. É difícil você ser feliz ao lado de uma pessoa egoísta, que não vê nada além dela e seus próprios problemas. A nossa contabilidade era ruim demais – eu só doava e ele só recebia. E nesta época encontrei o “desvendando”… lembra? Quando estava perdidinha, querendo reatar com ele, etc. Faz mais de um ano já. E você, blogueiro foi me dando respostas, eu fui lendo os posts, os comentários, aprendendo, vivendo… e conheci um “affair”, que não durou – durou só três meses – Chamo de affair porque só depois de um tempo percebi que ele estava com fome, comeu, encheu a barriga e se mandou. E eu, depois de tudo ainda sonhava, acredita? O ex hoje ronda… mas e eu? Eu estou ótima. Não quero nada com ninguém. Divirto-me por poder ter o terceiro olho depois de tanta coisa e dou grandes gargalhadas. O que mais amo hoje? Ficar com meus filhos e com minha mãezinha (quero aproveitá-la ao máximo) e não tenho tempo mais para romances e sonhos. Mas eu estou e sou feliz, porque descobri o segredo: EU APRENDI A ME AMAR ANTES DE QUALQUER COISA. Nossa! Quando conseguimos esta façanha, é a glória! Sabe por quê? Porque tudo o que você ensina aqui para a gente, blogueiro passa a acontecer naturalmente. Junto com o “desvendando os homens” vamos também, desvendando a vida! Descobri que não quero mais, que estou bem comigo mesma, que não faço força pra ser amada, que não sonho com príncipes encantados, e assim a vida floresce… A lição? Tudo passa tudo nesta vida passa. Há tempos e temporais e junto com eles, há também um lindo arco-íris no céu. É só olhar. Um beijo pessoal!