novembro 04

O Dilema Dani Calabresa

 

 

Se você pensou que esse era um texto sobre traição, foi enganada pelo título, ou melhor, pela expectativa que ele gera. Porque o dilema da Dani Calabresa não é sobre a traição e sim sobre o perdão. E não o perdão sobre uma traição, mas sobre o perdão dentro de uma relação. Quando perdoar? O que perdoar? Como superar e como seguir em frente? Esse é o dilema que toda mulher passa ou passará numa relação amorosa de longo termo com um homem. Por quê? Porque os homens possuem uma capacidade incontrolável, incomensurável e inacreditável de fazer cagadas em qualquer estágio do relacionamento. É quase uma inércia. A vocação para a estupidez destrutiva nas relações amorosas é inata nos homens. Fato. Negar isso é perda de tempo, é como a velha história sobre a Lei da Gravidade. Convive-se com ela e pronto!

 

Uma vez perguntei para uma mulher pela qual tenho enorme admiração, que vivia um casamento com mais de 30 anos (que dura até hoje!!!), qual era o segredo do relacionamento de longo prazo e ela me respondeu: “Simples, meu filho, é não separar!”.  E é isso mesmo!!! Porque na realidade todo relacionamento, por mais sólido e consistente que seja em todos os aspectos, passará por alguma ou algumas provas de estresse ao longo do caminho. Na grande maioria das vezes, posso assegurar sem medo de errar, por causa de escolhas equivocadas ou paquidérmicas dos homens!!! Pode ser um ato inconsequente e estúpido como nesse caso do Adnet, um beijo bêbado no meio da rua na frente de todo mundo, ou uma escolha profissional que equivocada que complica a vida do casal, ou uma crise financeira que compromete o bem estar da família causada por excesso de confiança/mau julgamento, ou uma “atração fatal” de poucas semanas no meio do nada por uma mulher sem nenhuma importância e conteúdo, fatores de maior ou menor relevo, não importa. Todas essas razões podem ocorrer e acabam ocorrendo invariavelmente durante uma relação com um homem. A questão não é SE uma delas ocorrer e sim, o que você vai fazer QUANDO uma delas ocorrer com você.

 

Já tinha me interessado por esse caso da Dani Calabresa pelo espetáculo midiático pavoroso criado entorno do fato. Ser famoso deve ser mesmo um troço complicadíssimo. Porque aquilo que na vida de um reles mortal poderia ter passado despercebido por todos ou pela quase totalidade dos seus conhecidos, na sociedade das celebridades de hoje, vira papo de elevador entre estranhos que nem nunca se viram… Quando soube da história em primeiro lugar senti uma pena terrível do Adnet, permitam-me meninas, afinal sou homem!!! Porque nós sabemos bem o arrependimento monumental que abraça um sujeito pego numa situação dessas ao abrir os olhos de ressaca no dia seguinte. O desejo freudiano de morte que se apodera do imbecil, a vontade de fugir até da conversa com a própria mãe… Vocês podem argumentar “BEM FEITO!” e com toda razão mas eu estou aqui pra mostrar o que os homens pensam e sentem, não se esqueçam, e não para falar do certo e do errado… Passada essa primeira sensação, fiquei à espera da reação da Dani, pois sabia muito bem qual eram as alternativas que ela tinha no caso e tentava imagina a pressão descomunal à qual ela foi submetida pelo vexame público… Confesso que nem sabia direito quem ela fosse. Não sou fã do CQC, portanto tinha vaga ideia da persona dela (o Adnet conhecia bem porque ainda por cima é torcedor do meu Botafogo…). Mas pela maneira com que ela enfrentou e gerenciou a situação toda, desde o primeiro instante até a entrevista que li outro dia no UOL, eu tenho obrigação de esmiuçar aqui com vocês já que trata-se um exemplo espetacular de mulher de sucesso no amor.

 

Pra começar, para aquelas entre vocês que não admitem nenhum tipo traição sob nenhuma hipótese, peço que cheguem ao final antes de emitir qualquer tipo de julgamento sobre a escolha da Dani e do teor desse texto. Como já disse no início, esse texto é sobre o perdão e não sobre a traição. Mesmo assim, vamos combinar? O assunto aqui não é uma amante de anos e sim uma trapalhada horrorosa, mas que durou uma noite… A primeira lição da Dani nesse episódio é a seguinte: PROTEJA O QUE É SEU!!! Como fez a Hillary Clinton no famoso caso do boquete presidencial da Monica Lewinsky, o passo inicial da Dani foi o de não punir publicamente o próprio jumento, no caso também marido, e deixar a espinafração para a esfera privada. Ah… Porque não duvidem vocês que ela não tenha submetido o idiota às piores sevícias verbais e psicológicas que um ser humano seja capaz de suportar… O que ela possa ter dito e feito com ele entre quatro paredes, só de olhar pra ela me dá medo imaginar… Independentemente disso, ela aproveitou dessa situação para dar um TOCO MONUMENTAL no cara, enquadrou bonito!!!! Ao adotar o silêncio em público ela inclusive SALVOU A CARREIRA DELE. Se fosse uma desgraçada qualquer, ele estaria morto!!!! Não me venham com essa que qualquer publicidade é boa publicidade porque, nesse tipo de caso, Bill Clinton só tem um… Ou seja, o “passivo” dele com ela tornou-se monstruoso e não é à toa que ele anda sumido, no sapatinho, sem dar entrevistas e quase sem botar o pé na rua. TOUCHÈ DANI!!!!

 

A segunda coisa, e sem duvida a mais espetacular de todas, foi a primeira entrevista depois de MESES ela deu pro UOL …. Aquilo foi um SHOW de competência afetiva. Ali ela passou o rolo compressor encima de todo mundo… Teve uma frase tipo “não vou jogar fora 4 anos de um casamento maravilhoso por causa de um beijo bêbado na rua”. É claro que estamos falando aqui de duas pessoas que se amam de verdade!!! De duas pessoas, uma MULHER e uma besta quadrada, que estão claramente construindo uma vida a dois (e depois com os filhos a três, ou a quatro…), que possuem objetivos de longo prazo, que não estão juntos à toa, que sabem muito bem (ou pelo menos ELA sabe) que vivem num ambiente dificílimo que é esse do estrelato, que possuem carreiras profissionais que tem interseção mútua o que, ao invés de ajudar, na prática acaba mais é atrapalhando tendo em vista o egocentrismo difuso no meio artístico (aqui me refiro à relação deles com outros atores do ambiente). Quando ela diz essa frase ela pega a faca, faz um risco no chão e diz pra todo mundo: “Somos mais fortes do que vocês! Nosso amor vale mais do que qualquer coisa! Do MEU MARIDO quem cuida SOU EU!!!”. E com isso, FIM DO ESPETÁCULO público, volta tudo pra esfera privada entre eles. Olha, tem que tirar o chapéu e aplaudir de pé a competência dessa mulher.

 

Estou contando essa história toda para você mulher, que está dentro de um relacionamento sério, bacana e duradouro,  com um cara legal que você AMA DE VERDADE e que te ama verdadeiramente também, mas que é homem e por isso sempre capaz de fazer uma merda fenomenal a qualquer instante. NÃO estou falando com você mulher, que está junto de um vigarista, ou de um canalha, ou de um sultão incurável, ou de uma criança imatura de 20 ou 50 anos, que só te dá balão, perdido, sumiço e dor de cabeça do instante em que o Sol nasce até o tocar do despertador do dia seguinte. Porque quem está carregando um piano de cauda desses besuntado de graxa, tem mais é que largar esse diacho imediatamente!!!! Eu estou falando de quem está com um cara dedicado, presente, capaz de fazer renúncias por você, interessado na sua vida, na sua profissão, respeitador da sua individualidade, das suas vontades e dos seus sonhos. Porque certamente o Adnet é um cara assim pra Dani. Se não fosse, a reação dela teria sido bem outra… Acontece é que até o mais príncipe dos príncipes, é matemático, um dia vai fazer alguma bosta gigantesca ao longo dos anos. NÃO TENHAM DÚVIDA NENHUMA que ela deixou bem claro pra ele que na próxima, ele vai catar coquinho sozinho nos desertos da Austrália, que o fim de linha dele será o mais inglório dos homens que já viveram nesse planeta. Mas pra uma relação permeada de coisas boas, de amor verdadeiro, garanto a vocês: vale a pena a poder monumental do PERDÃO!

 

Se eles vão continuar juntos para sempre? Isso eu não sei, ninguém sabe e nem eles mesmos podem saber.  Mas quem disse que o sucesso de um relacionamento afetivo se mede SOMENTE por isso? Isso é, no mínimo, discutível. Em segundo lugar, faz um teste pra mim. Olha bem pros lados. Pense num casal o qual, na sua opinião, é nota 10 e que esteja numa relação de longo prazo. Vai lá e pergunta PRA ELA, se alguma vez ela não passou por alguma situação limite por causa DELE. Minha querida, a resposta é pule de 10… E é óbvio que você nunca ficou sabendo e nem nunca saberá o que se passou