maio 29

Tags

Pimentinha vai casar!

 

 

Não é raro para mim encontrar comentários por aqui, ou ouvir de pessoas que encontro por aí, que já leram o livro ou alguns dos meus textos, que imaginam que eu acredite piamente na bobagem do “homem nenhum presta”. Isso sem contar as que me acusam de querer destruir o sonho romântico das pessoas, ou que eu esteja querendo colocar a dura prova a heterossexualidade delas!!! Se você está entre essas incautas que acham que todo homem é canalha, cafajeste, incorrigível, perde tempo e, pior de tudo, achou lendo o que eu escrevo que eu ache que todos eles são realmente “jumentos”, sem entender a ironia da metáfora, aqui vai mais uma historinha daquelas para fazer todo mundo refletir. É meio longa mas como aqui vocês adoram detalhes, lá vai!

 

Pimentinha é uma daquelas leitoras dos primórdios desse Blog, quando éramos poucos e todas sabiam as histórias de cada uma só de olhar pro “nick”. Chegou aqui através do Google durante a longa descida no vale de lágrimas que acompanha toda mulher perdidamente apaixonada. Aqui começamos a conversar sobre tudo o que tinha ocorrido no seu namoro que tinha sido interrompido, sobre o comportamento dele, sobre as reações dela, sobre as atitudes dos homens em geral. Aquela catarse de flashbacks e insights que vocês estão acostumadas a ler por aqui: um caminho tortuoso, mas fundamental para reconstrução da vida de qualquer uma.

 

O namoro entre Pimentinha e M. tinha durado 10 meses, mas foi uma daquelas histórias que dividem a sua vida em duas metades, sabe como é? Daquelas que você nem lembra mais de como ou quem você era antes de conhecido aquela pessoa. E foi assim PROS DOIS!!! Só que M., ah, M. é homem e estava no meio do ciclo 2… (Ciclo 2: dos 30 anos 40 anos). E Pimentinha (apelido carinhoso e perfeitamente definidor que ele deu pra ela!!!), também não era fácil não… Durona e arrojada que só ela! Absolutamente visceral nos seus sentimentos. E isso, para um cara mega racional como M., era ao mesmo tempo encantador e fascinante por um lado, mas assustador e desconcertante por outro. Formou-se o clássico impasse onde o amor é imenso, porém a capacidade de gestão do mesmo, de ambas as partes, é precária. E nessas horas, você já sabe o que acontece né? M. saiu-se com o bom e velho “o problema sou eu” ou algo parecido…

 

Passaram-se longos um ano e nove meses de separação. Eu vou repetir: UM ANO E NOVE MESES!!!! Você, que é mulher, sentiu o peso desse tempo lendo essa frase, né?! Você sabe o que é para uma mulher passar esse tempo, e até mais do que isso, amando um homem loucamente sem ter notícias. Pois M., que é homem como eu, jurava que tinha sido menos de um ano, acredita?!?!?! De pés juntos!!!!! Isso para você ter mais uma vez a certeza do que eu escrevi no texto A quarta dimensão…. Não pense você que durante esse tempo M. não sofreu também! Sofreu sim!!! Sofreu como sofrem os homens, sobretudo no ciclo 2: sentindo um incomodo ininterrupto e persistente na cabeça, um bichinho falando “seu idiota, o que você está fazendo???”, mas que ele insiste em não escutar.

 

Durante essa separação houve três encontros, todos eles é claro, procurados por Pimentinha ($%¨$%¨$##$#$%##@% – nota do autor…). No último, durante o qual ela cobrou uma “definição” e achou que estava quase dobrando o bicho, a coisa como sempre nas DRs, não funcionou e ela achou que estava tudo acabado para sempre. Não no íntimo, mas ela se fez forte, e forte ela é pra caramba, e decidiu seguir a vida. Depois de um tempo arrumou até um outro namorado e tudo. Enquanto isso M., como fazem todos os homens, nem por um segundo achou que aquele encontro fosse derradeiro!!!!! Sabia que o amor dela por ele não ia acabar de um dia por outro, tentava se convencer de que aquilo era só “uma breve pausa”, coisa que os homens estupidamente fazem SEMPRE e que, “mais pra frente”, eles se encontrariam de novo. Afinal, no íntimo, bem longe do cérebro dele, o coração lhe dizia que aquela mulher era ELA! Viajou pro exterior a trabalho e seguiu a vida achando que, quando fosse a hora certa PRA ELE, poderiam recomeçar de onde haviam parado… Típico, não?

 

Mas quando o sentimento é verdadeiro, uma hora o silêncio se faz ensurdecedor e acorda qualquer um (O silêncio ensurdecedor da sua ausência). Quando essa hora chegou, M. foi procurar Pimentinha e… descobriu que a fila tinha andado!!!! Deve ter batido um desespero monstro no bicho. Tanto bateu que, quando ele foi meio que cobrar satisfação pelo Facebook, para minha suprema satisfação, foi devidamente esculachado por Pimentinha, que não é mole não, e que nessa hora soltou os cachorros para cima do “arrependido”… Ah mermão, não deve ter sido gostoso de escutar não… A chinela cantou legal e ela botou o bicho pra correr! Mas certamente, ao colocar tudo para fora, Pimentinha ouviu de novo seu coração falar e amoleceu sua determinação de durona. Passaram-se uns meses e ela terminou o tal namoro. Aí ligou para ele para dizer que “TALVEZ” tivesse sido um pouco dura e injusta demais com ele. Foi a deixa… M., que a essa altura do campeonato já tinha compreendido que se deixasse o trem passar outra vez ia perder de vez, não se fez de rogado!!! Era dia 05 de Outubro de 2015 e aqui começa a parte da história que eu queria contar de verdade!!!!

 

O engraçado mais uma vez, é como as coisas que são claras para nós, não são para vocês e vice-versa né? M. achou que aquele recomeço, desde o primeiro dia, era namoro e namoro seríssimo. Já Pimentinha, calejada pelo ano e nove meses de suplício, ficou bem na dela esperando ele dar nome aos bois. E se não tivesse sido por uma conversa absolutamente casual, ela não teria sido formalmente pedida em namoro até agora!!!! Porque ele não iria pedir, óbvio, na cabeça dele, aquilo era pra valer desde o instante zero, não precisava nem dizer!!! Só que não né?!?!?! Ah… Homens…. Seguiram-se três meses de sonho, tipo filme comédia romântica de Hollywood, tudo andando ás mil maravilhas, sem estresses, sem DRs, tudo muito cheio de amor e de certezas. M. a convidou para passar o Natal com a família dele no Sul do Brasil, tudo perfeito, conto de fadas total, todo mundo contente e feliz até que logo na volta da viagem, na véspera do Ano Novo…

 

Quando eu digo para vocês aqui que a subjetividade feminina é ao mesmo tempo a cruz e a delícia em vocês, não é pra menos… Por causa de uma questão ABSOLUTAMENTE INSIGNIFICANTE, a mãe senhora de todas as paranoias se abateu sobre Pimentinha em questão de segundos, transformando um nada numa tragédia grega, desmoronando o castelo dos sonhos do Natal e criando (na cabeça dela) num filme de terror angustiante. Pimentinha nessa hora não se aguentou e me escreveu. Explicou o que tinha ocorrido e me mandou os “prints” da conversa que se seguiu entre eles no whatsapp pedindo minha opinião. Saquei NA HORA que se tratava de um tremendo mal-entendido e falei para ela não só não se preocupar, mas também para parar de auto sabotar o que estava indo tão bem. Mas o troço rendeu…. Porque por mais que tenha tentado, Pimentinha não é fácil não… A partir daí, por mais que eu entenda que é difícil pra uma mulher apaixonada se livrar o terror de levar um pé na bunda de novo, o diabinho que mora na cabeça de cada um de nós, começou a encontrar razão pra suspeita em tudo quanto é lugar pra Pimentinha… E eu dizendo: “Pára com isso, não tem nada de errado aí…”

 

Veio Janeiro e eu finalmente conheci Pimentinha pessoalmente!!!! Foi no dia do evento do DESVENDANDO em São Paulo. Caiu um dilúvio universal na cidade, parou o trânsito em todo lugar, mas Pimentinha, que não é fácil não, pergunta se deixou de ir?!?! Poucas vezes na vida encontrei uma pessoa tão linda, tão doce e tão guerreira!!!! Conversamos até, e acho que foi nesse dia mesmo que disse para ela pela primeira vez: “Pimentinha, esse cara gosta de você DE VERDADE! M. já decidiu que vai casar com você, quer apostar? ”. Nessa hora Pimentinha já não era mais uma leitora, já tinha virado minha amiga na vida real mesmo. Trocamos telefones para ela me mandar as fotos que tirou no evento e a partir daí comecei a acompanhar ainda mais de perto o desdobramento do relacionamento entre ela e M.

 

Ao climão do pós-Natal, seguiram-se uns outros, todos mais ou menos parecidos. Cheguei a dizer pra Pimentinha: “Ele tá meio que te testando. Ele tá querendo ver se você é capaz de controlar essa sua brabeza, sua boba! Porque na vida a dois sob o mesmo teto, você vai ter que saber lidar com o que lhe incomoda e resolver sem carregar isso dentro por muito tempo”. Pimentinha é danada mas é uma pessoinha muito especial, M. sabe bem disso. Sozinha decidiu começar uma terapia. Foi logo depois do evento. Mulher corajosa que só ela. Porque se colocar em discussão assim, sem jogar a culpa no outro que é muito mais fácil, não é pra qualquer pessoa não. Nesse meio tempo, M. levou à sério o tal teste, não deu folga… Ela percebia o climão, a gente conversava de vez em quando e ela, com enorme esforço e determinação, foi controlando o seu instinto que era de esganá-lo e conversar pra “resolver” logo de uma vez, e foi lindando com a situação, penando mas assumindo uma outra forma de controle e de autocontrole. Tudo com grande dificuldade e sacrifício. Eu não lembro bem quando foi, ela sim porque me contou, mas num dos desabafos de desconforto eu disse pra ela: “Sua boba, antes do final do ano essa cara vai lhe pedir em casamento, você vai ver”.

 

Aí, nessa sexta-feira, eu recebo essa foto aí que vocês viram acima… E um vídeo ESPETACULAR feito pela família da sacada da casa dela. M. com um buquê de flores, pedindo ela em casamento no meio da rua. Pra rachar o coração mais pedregoso desse mundo!!!!!! Pensa no que é um cara mandar MUITO BEM? Pois foi!!! Como prometido pra mim lá no evento em São Paulo, além de ser chamado jocosamente de bruxo, recebi o convite para ser um dos padrinhos desse casamento que já tem data marcada e tudo em Setembro!!! Só perco se por alguma desgraça não estiver mais nesse mundo!!!!

 

Você acha que a história terminou aqui? Você acha mesmo que era isso que eu tinha pra contar? Se achou, enganou-se tremendamente. Porque a história na realidade vai começar a ser contada agora. Lembra da tal viagem que eles fizeram pro Sul no Natal? Depois dos três meses maravilhosos passados juntos depois do recomeço do namoro? Antes de viajar, M. foi até a casa dela E A PEDIU EM CASAMENTO PROS PAIS!!!!!! Durante esses meses todos de “estranhamento”, os pais dela NÃO DISSERAM UMA PALAVRA!!!! Respeitosamente acompanharam o desenrolar dos fatos entre os dois. No dia do pedido em casamento pra ela no meio da rua, sabiam de tudo, M. teve o cuidado de combinar com eles antes, por isso é que existe o tal vídeo que eu vi. Quem teria a presença de espírito de filmar um troço desses assim do nada, sem saber? Toda essa história aqui é só pra colocar uma coisa nessa sua cabecinha de vento: HOMEM QUANDO AMA DE VERDADE, DÁ NÓ EM PINGO D’ÁGUA!!!!!! Quando é pra valer, eles sabem fazer TUDO CERTINHO!!!! Cada um do seu jeito, mas homem sabe muito bem o que tem que fazer para inundar o seu coração de alegria. E FAZ!!!!! E FAZ!!!!!

 

Você que fica se perguntando como saber se é pra valer, se ele mudou mesmo quando for tentar voltar pra você, lembre-se dessa história. O CARA TINHA PEDIDO A MÃO DELA MESES ANTES!!!! Repito MESES ANTES!!!! Quando é pra valer, o cara muda gente! Só não vê quem não quer. O problema é que na maioria das vezes vocês veem o que não existe!!! Não sou eu que quero destruir o sonho romântico de ninguém!!!! São vocês que não querem admitir que o cara tá fazendo igual a sempre!!!! Ou então começam a enxergar pelo em ovo, como a Pimentinha fez!!!!! Homem quando a ficha cai de verdade, não brinca em serviço não!!! Morre de medo de perder!!!! Faz de TUDO para acertar!!!!! E olha que M. é daqueles caras metódicos, engenheiro, todo racional o bicho!!! Mas para acabar de vez com qualquer dúvida dela, para mostrar o quanto é verdadeiro o negócio, olha só o esmero do cara!!!!! Homem quando ama, é assim que faz! Portanto, não confunda avestruz com helicóptero!!!! Homem imaturo, vagabundo, perde tempo, você vai encontrar aos montes pela vida. O homem que te ama ou te amar de verdade, vai ser totalmente diferente desses aí. Uma hora vai. Impossível não perceber a mudança.

 

Nota do autor: Pimentinha é a Luh do post Luh: E a essência do TOCO!!!!!

 

Copyright © 2016 by Eugenio Campello Costa

Proibida a venda e reprodução parcial ou total sem autorização

Para adquirir o livro: Livro Impresso na ALL PRINT

Para adquirir o ebook: Ebook na Amazon

VISITE A PÁGINA DO DESVENDANDO NO FACEBOOK: Desvendando no FB